Home > Administração > Especialista revela os principais desafios de um CEO

Especialista revela os principais desafios de um CEO

Bráulio Lalau comenta as principais obrigações e demandas que aumentam as chances de sucesso nos negócios

© Depositphotos.com / gemphoto O CEO precisa estar sempre pronto para tomar as decisões mais assertivas para levar a empresa ao sucesso.

Alcançar cargos de alto escalão não requer apenas um bom currículo. Uma vez que o mundo dos negócios não é regido por fórmulas ou passes de mágica, Diretores, CEOs e gestores dos mais diversos segmentos podem atingir o sucesso em suas organizações levando em conta diferentes paradigmas e metodologias gerenciais.

Bráulio Lalau, CEO na empresa Orbitall e especialista em gestão de pessoas e liderança de grandes equipes, conta que é possível apontar algumas características em comum que as companhias de sucesso carregam consigo. “Há uma série de obrigações que terão de ser enfrentadas por aqueles que encabeçam os processos estratégicos e representam a visão da empresa para o mercado”, completa.

O especialista conta em detalhes quais são estas obrigações:

Criar estratégias que levem em conta desafios globais

É difícil imaginar uma empresa que não almeje alcançar altos níveis de crescimento, fidelizar seu público-alvo e conquistar novos consumidores para expandir os negócios. Para tanto, o CEO precisará observar não apenas os aspectos que envolvem os processos internos da companhia, o que deve ser conquistado em uma perspectiva local, ou somente os concorrentes mais diretos, por exemplo.

O bom gestor é aquele capaz de acompanhar e, sempre que possível, antecipar desafios globais, seja para blindar a empresa de movimentações da economia, seja para acompanhar os valores que orientam os novos padrões de consumo de produtos e serviços.

Dentre os desafios globais mais evidentes, vale citar a necessidade de adaptação das companhias às demandas sustentáveis e de respeito ao meio ambiente, o acompanhamento do novo panorama geopolítico e econômico mundial e a exigência de criar modelos de comunicação atraentes para as novas gerações Y e Z.

Incluir a inovação como uma prioridade da empresa

Companhias visionárias e antenadas com as tendências do mercado já sabem: a inovação há muito tempo deixou de ser encarada como uma meta longínqua. A grande verdade é que, para crescer, sua empresa terá de incluir a inovação como uma das principais prioridades estratégicas e cabe a você, CEO, ser o principal condutor desta mudança de mentalidade organizacional.

É fundamental, porém, que você não se limite a adotar o discurso básico da inovação. Sabe aquele gestor que sempre fala de novos processos e produtos, mas, na prática, não implementa nada disso na realidade de sua empresa? Pois bem, fuja desse estereótipo.

O primeiro passo para isso consiste em se questionar sobre o que, de fato, você tem feito para que a inovação se torne uma rotina do negócio. Conte com colaboradores perspicazes neste momento e avalie o que pode ser desenvolvido, tanto do ponto de vista de processos quanto de novos produtos ou serviços.

Trabalhar o desenvolvimento institucional

Missão, visão e valores não são conceitos que você desenvolve para depois guardá-los em um arquivo da empresa. É preciso trabalhar constantemente para que a organização se enquadre nos princípios centrais que a regem e, sobretudo, implementar melhorias organizacionais sempre que necessário.

Um dos principais trabalhos do CEO, neste sentido, consiste em difundir a filosofia que orienta sua empresa para todos os colaboradores da organização, favorecendo o estabelecimento de uma cultura empresarial forte.

Medir a criação de valor

Antigamente, era comum que gestores financeiros e CEOs mensurassem a criação de valor em um negócio somente a partir de bens tangíveis e do próprio capital financeiro da empresa. No contexto atual do mercado, outra série de elementos mais subjetivos entram no cálculo da criação de valor de um negócio, e todo bom gestor deve ser capaz de identificá-los e desenvolvê-los.

Dentre eles, podemos citar:

- Implementação de modelos que favoreçam uma maior eficiência energética, hídrica e de controle de despesas. Aliás, sobre o quesito da contenção e gerenciamento de custos, eis uma máxima que sempre usamos na empresa que coordeno quando abordamos este assunto: “Despesas são como unhas, precisam ser cortadas toda semana!”
- Governança e transparência.
- Equilíbrio financeiro.
- Inovação.
- Eficiência operacional.

Estes são apenas alguns exemplos de práticas que favorecem a valorização de uma empresa no mercado e ocupam um plano mais intangível na realidade de uma organização.

Desenvolver pessoas e novos líderes

Todo CEO deve preocupar-se em desenvolver pessoas dentro de uma empresa e, acima de tudo, novos líderes que possam dar continuidade aos valores organizacionais e à trajetória de crescimento do negócio.

Para ilustrarmos a importância deste ponto, pense no caso de um empreendimento que conta com um ótimo modelo de gestão e expectativas de crescimento, mas não possui diretores suficientemente empenhados no desenvolvimento de novos líderes capazes de dar continuidade às ambições da companhia.

Sabe o que costuma ocorrer em casos como esse – aliás, bastante comuns no meio empresarial brasileiro? A companhia perde forças e pode até sair do mercado devido a uma falha no processo de desenvolvimento de novos líderes!

Uma dica simples para evitar que isso ocorra em seu negócio é a seguinte: não seja egoísta ou centralizador, compartilhe conhecimento e estimule o crescimento de carreiras dentro de sua empresa.

Ter um plano estruturado de sucessão

Por fim, diretamente ligado ao tópico anterior, ter um plano de sucessão não consiste em limitar sua visão a curto prazo, mas pensar no futuro de uma marca mesmo quando você não coordenar mais os rumos daquela determinada empresa.

Além disso, planos de sucessão são também úteis para quando um funcionário de alto escalão, por algum motivo, resolve sair da companhia. Com planos bem estruturados, você minimiza os riscos de ser pego de surpresa em uma situação como essa. Devido a motivos como esse é que se torna tão crucial o desenvolvimento de talentos em sua organização.

Lembre-se: bons líderes respeitam o passado de uma empresa, estão atentos aos problemas do presente e jamais deixam de enxergar o futuro. Siga este caminho e tenha sucesso!

Matérias Relacionadas