Home > Economia e Finanças > Mulheres com filhos ganham plataforma exclusiva de recrutamento

Mulheres com filhos ganham plataforma exclusiva de recrutamento

A maternidade dificulta o regresso das profissionais ao mercado de trabalho

© Depositphotos.com / felixtm Plataforma conecta mulheres com empresas que não veem a maternidade para empecilho.

Deixar o mercado de trabalho temporariamente para se tornar mãe não é algo incomum. Dispensando a licença-maternidade, muitas mulheres optam por passar mais tempo com a criança, acompanhando de perto seu crescimento e desenvolvimento nos primeiros anos. Mas na hora de retomarem a carreira, encontram a resistência de muitas empresas.

Uma pesquisa da Catho feita com mais de 13 mil pessoas e divulgada em maio de 2017 concluiu que a chegada dos filhos faz com que 28% das mulheres deixem o mercado de trabalho contra 2% dos homens. Além disso, 21% das mulheres levam mais de três anos para retornarem ao trabalho. No caso dos homens, apenas 2% deles enfrentam esse cenário.

Não são raros os casos de mulheres que foram dispensadas no meio ou no final de processos seletivos pelo fato de terem filhos. Principalmente quando a seleção é para cargos altos.

“Quando a mulher está mais próxima de 30 e poucos anos, é a idade para avançar para a próxima etapa da carreira. É também, geralmente, a idade que faz opção pela maternidade. Isso pode ter relação com ritmo mais lento de evolução de carreira das mulheres”, disse Kátia Garcia, gerente de relacionamento com o cliente da Catho, em entrevista à Agência Brasil.

E para reduzir os obstáculos que dificultam a volta das mães ao mercado de trabalho, a agência de comunicação corporativa Teamworker criou a plataforma Contrate uma Mãe. Nela as profissionais com filhos podem inserir seus currículos em PDF e enviá-lo para empresas que estão de braços abertos para recebê-las. E o número de empresas parceiras tende a crescer.

A plataforma defende que a maternidade ajuda a desenvolver uma série de habilidades que são importantes no mercado de trabalho. E lembra que, de acordo com o Royal Holloway, da Universidade de Londres, a gestação aumenta as atividades neurais do lado direito do cérebro, que é a parte responsável pelas capacidades cognitivas ligadas à criatividade, ao relacionamento interpessoal e ao controle/percepção das emoções.

Para conhecer a plataforma de recrutamento, acesse: http://www.contrateumamae.com.br/

Matérias Relacionadas