Home > Opinião > O problema de nunca se considerar bom o bastante profissionalmente

O problema de nunca se considerar bom o bastante profissionalmente

© Depositphotos.com / Wavebreakmedia Mariani Colonetti alerta que a preocupação constante com a perfeição pode deixar o profissional paralisado.

Tornar-se um profissional perfeito é um conceito muito sedutor no ambiente de trabalho, mas é algo impossível de se alcançar na realidade humana. Nós, seres humanos não somos como peças de uma engrenagem, pois temos valores, sentimentos, opiniões, motivações e histórias de vida. Acima de tudo, somos únicos, o que, por vezes, pode complicar a situação ou pode ser considerado como um grande diferencial. Tudo depende da forma que você encara a situação.

Vivemos com a percepção de nunca termos o bastante, nunca sabermos o bastante e, principalmente, nunca sermos o bastante. Temos a sensação, na maior parte do tempo, de escassez. Até nas coisas mais simples do dia a dia nossa mente está acostumada a detectar a falta, a necessidade de precisar sempre de mais, de ter mais ou de ser mais. No livro The Soul of Money (A alma do dinheiro), Lynne Twist retrata perfeitamente a maneira como vivemos nesta escassez:

“Para mim e para muitos de nós, o primeiro pensamento do dia ainda na cama é: ‘Não dormi o suficiente’. E o seguinte é: ‘Não tenho tempo suficiente’. Esse pensamento de não suficiência vem a nós automaticamente, antes mesmo de podermos nos dar conta de sua presença ou examiná-lo. Passamos a maior parte de nossas vidas ouvindo, explicando, reclamando ou nos preocupando com o que não temos em quantidade ou grau suficiente(…) E quando voltamos para a cama à noite, nossa mente recita uma ladainha de coisas que não conseguimos ou não fizemos naquele dia. Vamos dormir com o peso desses pensamentos e despertamos para lamentar mais falhas.”

A busca por se tornar um profissional de sucesso, que tem seu valor, contribui para um mundo melhor e que procura ser um pouco melhor a cada dia, mais não um profissional perfeito. O primeiro passo é ter a coragem de entrar na arena da vida. E isso significa assumir riscos, viver verdadeiramente seus valores, mostrar seu potencial e quem você é, sem medo do que os outros irão pensar, pois afinal de contas todos somos imperfeitos.

Se você ficar esperando alcançar a perfeição para só depois abraçar uma oportunidade, dar uma ideia, sugerir algo novo, fazer o que ama, ter seu negócio, você viverá acumulando críticas e nunca ousará entrar em ação, por não se considerar bom o bastante frente ao desafio profissional.

E talvez você esteja se perguntado o que deve fazer para sair desse ciclo de escassez, de não se considerar bom o bastante, e partir para a arena da vida, onde pessoas imperfeitas têm a coragem de entrar em ação e fazer acontecer. Então pensei em três atitudes simples, mas muito poderosas para lhe ajudar a fortalecer sua mentalidade profissional e viver sua carreira com ousadia:

Pratique a gratidão diariamente: reserve alguns minutos do seu dia para refletir sobre tudo que você se sente agradecido por ter em sua vida profissional. Pense sobre suas conquistas, experiências, realizações, reconhecimentos, talvez em pessoas que lhe ajudaram ou foram importantes para que você tenha chegado onde está hoje. É importante que esta reflexão seja realizada todos os dias, para que tenha resultados efetivos.

Aproveite os erros e falhas: sempre que algo não acontecer como você esperava, pense, reflita e, se puder, até escreva três oportunidades que este erro ou falha podem lhe proporcionar no futuro. É difícil, eu sei, mais se fosse fácil todo mundo faria, mas apenas os profissionais diferenciados têm esta ousadia. Pensar no que deu errado, no momento que isto acontece, nos prende a soluções com pouca ou nenhuma eficiência. Já pensar no que o erro pode lhe proporcionar no futuro irá lhe gerar boas e novas oportunidades. O ponto principal é a forma como você interpreta e encarra as situações.

Imponha limites: isto significa saber dizer “não” e priorizar o que você considera importante. Na arena da vida é preciso valorizar-se. Neste sentido, você pode decidir iniciar uma atividade física, se afastar de pessoas que estão lhe atrapalhando, fazer um detox das redes sociais, parar de levar trabalho para casa, dar valor às coisas simples da vida, começar a meditar ou qualquer outra coisa que há muito tempo você quer fazer por você mesmo, mas que, por algum motivo, não tem se permitido fazer.

Um profissional de sucesso, que presa por crescimento, reconhecimento e felicidade profissional, deve prestar atenção no espaço que o separa do lugar que está do lugar que almeja estar. Não buscando a perfeição, mas, sim, atento e comprometido em praticar atitudes alinhadas aos seus valores e propósitos.

E-book gratuito tudo sobre coaching

Matérias Relacionadas