Home > Orientação Profissional > Currículo tradicional deve deixar de existir: como se adaptar às mudanças do mercado?

Currículo tradicional deve deixar de existir: como se adaptar às mudanças do mercado?

iStock / Getty Images Plus / Abscent84 Especialistas apontam que o padrão tradicional dos currículos deve mudar, acompanhando as transformações do mercado.

A principal função do currículo é estabelecer o primeiro contato entre um profissional que está procurando emprego e os recrutadores, e é fundamental que ele seja elaborado de forma a deixar uma boa impressão a respeito das qualidades do candidato. Trata-se de um documento que relata a trajetória educacional e as experiências do profissional, apontando suas qualificações, habilidades e competências.

Por ser considerado um documento sério e profissional, o currículo acabou ganhando um formato tradicional e formal, em que o candidato deve necessariamente apresentar informações como dados pessoais, formação acadêmica, experiência profissional, idiomas de domínio, habilidades, áreas de interesse e cursos complementares. A tendência, porém, é que este padrão mude, acompanhando as transformações do mercado.

O uso das redes sociais como ferramenta de seleção — especialmente o LinkedIn — é uma das principais tendências dos últimos anos: um levantamento feito em 2012 pela empresa de recrutamento Robert Half já apontava que muitos brasileiros acreditavam no potencial das plataformas online como ferramenta de recrutamento: na época da pesquisa, 34% dos entrevistados afirmaram acreditar que os currículos tradicionais seriam substituídos pelas redes sociais.

De acordo com Lucas Oggiam, consultor da empresa de recrutamento especializado Page Personnel, os candidatos a estágio e trainee devem ser os primeiros a adotar formas diferentes de se apresentar às empresas. Além disso, o especialista aconselha a estar sempre de olho nas mudanças do mercado, nos acontecimentos dos últimos anos e nas características de sua região: “O currículo é um reflexo do que o entrevistador quer ver. Por isso é de um jeito no Brasil, e nos Estados Unidos de outro”, afirmou Oggiam ao portal Exame.

Como adaptar seu currículo às mudanças?

Não dê muito destaque às informações pessoais

Detalhes como gênero, raça, idade e nacionalidade não devem interferir no julgamento do recrutador, e muitas empresas já aplicam parte de seu processo de seleção às cegas. Portanto, prefira não dar tanto destaque a informações que não são necessariamente relevantes para a vaga que está sendo oferecida.

Só inclua fotos se solicitado

Muitas pessoas ainda ficam na dúvida sobre a necessidade de incluir uma foto no currículo. A maneira mais fácil de saber se a foto deve ser anexada consiste em verificar se o anúncio da vaga pede uma foto: se não houver esta especificação, então não é preciso incluir. Vale lembrar que o tópico anterior também deve ser levado em conta aqui e, se a apresentação pessoal não for relevante para o emprego, você não deve deixar que sua aparência interfira em sua candidatura.

Foco nos resultados

Os resultados alcançados são muito mais importantes do que a ocupação de um cargo ou a execução de uma tarefa específica. Por isso, em vez de apenas descrever sua função nos empregos anteriores, prefira destacar os objetivos atingidos e as conquistas.

Apresentação em vídeo

Preparar uma apresentação em vídeo pode ser uma excelente opção para complementar seu currículo, uma vez que permite que o recrutador já analise sua habilidade de comunicação e sua desenvoltura.

Matérias Relacionadas